sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Choca-barrada

    Fêmea            Imagem: Dario Sanches - http://www.flickr.com/photos/dariosanches/5043565433/in/set-72157600283816931

     Macho                                         Imagem: Mariza Sanches - http://www.flickr.com/photos/29180995@N05/5179830635/


Thamnophilus doliatus

Choca-barrada,
topete eriçado
é seu destaque!




Pena eriçada
Na cabeça adornada
Choca-barrada.
Jair C. Lopes



Choca-barrada:
A fêmea avermelhada,
Macho carijó.
Vilma Piva



Choca-barrada
poema e pássaro
versos sob penas
. . .
Avermelhada
penas eriçad(asas)
ninho no olhar
Luiz Alfredo


quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Hino Avenacional



Caros amigos,
O poeta Luiz Alfredo, com muita criatividade e talento, homenageia a Avifauna brasileira através da releitura do nosso hino nacional.
Para um Brasil que ainda devasta, engaiola e caça indiscriminadamente, o nosso apelo por atitudes mais conscientes de preservação da nossa fauna e flora.


Hino Avenacional
I
Ouviram o
uí pi as margens plácidas
de bandos de
pardais em brado retumbante,
e o
rouxinol em liberdade, cantos fúgidos
cantou no pau brasil nesse instante.
e o
quero-quero e o bem-te-vi
conseguiram cantar com bicos fortes
no seu peito, o
chico-preto,
desafiou o
curió a própria morte!

Ó
arara amada,
idolatrada,
salve salve!

Trigueiro um canto intenso,
sabiá vivido
beija-flor e a jaçana voou e a águia desce,
o teu famoso
tico-tico, pula para lá e para cá,
a imagem do
bandeirinha resplandece
bicudo pela própria natureza,
é belo, és forte,
patativa, choró boi, teu canto espelha essa grandeza.

terra avoada
entre outras mil,
és tu
canário da terra
Ó ave amada!
dos pássaros deste solo és passarim amarelim
aves levadas,
papagaios, galitos Brasil!

II

deitado eternamante em ninhos esplêndidos,
ao som do pantanal
gavião no céu profundo,
fulguras, ó
tuiuiú, florão da américa,
garça-brancas a mil voando pelo mundo!
do que
chauá e o carão,
teu anum, lindos
príncipes tem mais cores;
"nossos bosques tem mais pássaros,"
"nossa
jandaia" no teu seio "mais coleiros".

ó pátria da
juriti
idolatrada,
utiariti !
suiriri.

Brasil, de pássaros eternos seja símbolo
O
corrupião que ostentas estrelado,
e diga o verde-louro dessa mata
paz na
asa branca e glória no assum preto
mas, se ergues
pica-pau do bico forte,
verás que um
pintassilgo teu não foge à luta
nem um
uirapuru, quem te adora, a cigarrinha.

terra passarada,
entre outras mil,
és tu,
martim-pescador
ó
viúva amada
dos filhos deste solo és trigueiro gentil,
coruja amada,
grunil
tié-fogo
sangue de boi
coleiro
Brasil.
Luiz Alfredo